Sitios arqueológicos em Portugal

Em Portugal já foram identificados um grande número de locais arqueológicos, de todas as épocas e em várias localizações. Desde as ruínas (muito completas) de Conímbriga, passando pelo Cromeleque dos Almendres (visível desde que foi construído, até aos vestígios islâmicos por desenterrar de Mértola ou aos segredos romanos da baixa pombalina em Lisboa. Veja alguns exemplos de sítios arqueológicos em Portugal.

Parque Arqueológico Subaquático de Angra do Heroísmo

Os registos históricos apontam para cerca de 90 naufrágios ocorridos na baía de Angra do Heroísmo, na ilha Terceira (Açores), desde 1552 até ao presente. Muitos deles ainda não foram encontrados, mas as autoridades já reconheceram a importância histórica do local, tendo procedido à sua classificação.

Cava de Viriato

Cava_do_ViriatoExiste, às portas de Viseu, uma fortificação construída em terra batida, com cerca de 2 quilómetros de perímetro, e com vestígios de ter incluído um fosso. Deu-se-lhe o nome patriótico de Cava de Viriato, tendo sido associada, no âmbito do antigo patriotismo histórico nacionalista, à resistência dos lusitanos contra os romanos. Contudo, é mais plausível que tenha sido a base do poder romano na região ou que seja mesmo uma fortaleza islâmica muito posterior.

Concheiros de Muge

Descobertos há 150 anos, na freguesia de Muge (Salvaterra de Magos), os concheiros são prova da presença de sociedades recoletoras no território português há cerca de 8000 anos. Tratando-se de uma das mais antigas descobertas arqueológicas em Portugal, o estudo contínuo desta zona já permitiu desenvolvimentos na investigação destas sociedades. Estudos recentes apontam que a opinião do século XIX, relativamente ao facto de estas sociedades não possuírem estratificação social e terem permanecido milénios no mesmo local, poderá estar incorreta.

Cidade romana de Eburobrittium, Óbidos

A descoberta de uma cidade romana de importância média às portas de Óbidos coincidiu com a construção da autoestrada A8. Parte da cidade ficou soterrada, mas o governo português acabou por declarar toda a área envolvente como de interesse público, salvaguardando intervenções futuras. Eburobrittium terá sido um porto marítimo, uma vez que, à época, o nível do mar chegava às portas de Óbidos.