O Castelo de São Jorge – Localização Estratégica e História Milenar

Dominando a vista sobre a Baixa lisboeta, o Rio Tejo e a sua margem Sul, e de olho no Oceano Atlântico, o Castelo de São Jorge mantém-se há séculos vigilante sobre a cidade de Lisboa.

St. George's CastleEm 2016, o Castelo de São jorge foi mais uma vez o monumento mais visitado em todo o país, sendo que a esmagadora maioria dos visitantes foram cidadãos estrangeiros. Não só esta imponente construção carrega consigo um passado milenar, como, hoje em dia, é ainda parte integrante da vida da capital portuguesa.

Escavações arqueológicas realizadas no interior do recinto do castelo revelaram vestígios que, atravessando todo o tempo passado desde então até hoje, remontam à era da Idade do Ferro. Claro que tais estimativas não podem ser exatas, mas, com certeza, o local onde o Castelo de São Jorge se encontra fora já ocupado cerca do século VI a.C.

A sua posição estratégica permite controlar não só as terras para norte, este e oeste, como também parte das terras a sul, na outra margem do Rio Tejo, e ainda uma grande porção do rio, incluindo a sua foz e parte do Oceano Atlântico.

Embora tenha sido ocupado desde tempos remotos, o local onde se encontra o castelo foi verdadeiramente fortificado pelos Mouros, que ocuparam a maior parte da Península Ibérica até à Reconquista Cristã.

Os diversos terramotos que assolaram Lisboa, nos séculos XVI e XVII, culminando com o célebre terremoto de 1755, já no século XVIII, contribuíram para uma significativa degradação do castelo, mas, já no início do século XX, foram realizadas grandes obras de restauro, permitindo que hoje possa vivenciar-se um pouco do que foi estar entre as muralhas que outrora protegeram Lisboa.

Hoje em dia, o visitante pode usufruir não só da vista, mas também de exposições que ilustram o passado deste monumento e da sua fortaleza, centro da História de Lisboa e de Portugal.